Senadora Juíza Selma convoca conselheiros da Vale para depor na CPI de Brumadinho

11

INQUÉRITO
Responsável por empresa que emitiu laudo declarando estabilidade na barragem que se rompeu também terá que depor  

KATIANA PEREIRA/DA ASSESSORIA

Durante reunião realizada na manhã desta terça-feira (19.03) a senadora Juíza Selma (PSL-MT) apresentou requerimento convocando todo o Conselho de Administração da Vale para prestar esclarecimentos na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) de Brumadinho. A justificativa é que o Conselho é o responsável pela definição das políticas e das diretrizes gerais da empresa, análise de planos e projetos propostos pela Diretoria Executiva e a avaliação dos seus resultados.

“Os membros do Conselho de Administração têm muito a contribuir com o esclarecimento dos fatos, objetivando, sempre a busca da verdade real, bem como a identificação das responsabilidades individuais e da empresa Vale na tragédia de Brumadinho”, disse a senadora no requerimento que foi aprovado pelos demais membros da CPI.

“Nós não estamos aqui para trabalhar e jogar para a plateia. Estamos aqui porque há pessoas mortas e famílias dessas pessoas que precisam, que merecem uma resposta do Estado. Nós temos essa prerrogativa de investigar, de propor solução via CPI. Esse é o nosso dever e vamos cumprir”, afirmou a senadora durante pronunciamento.

Também foi convocado o representante legal da Empresa Tractebel Engeneering, que em março de 2018 emitiu declaração de estabilidade da barragem B1, no complexo minerário do Córrego do Feijão, situado em Brumadinho, que veio a se romper e causar imensa tragédia, com a morte de centenas de pessoas.

Consta em recomendação do Ministério Público Federal, Ministério Público de Minas Gerais e da Polícia Federal que a referida empresa teria se recusado a atestar a estabilidade da barragem B1. Essa foi a razão que levou a empresa Vale a substituí-la pela TÜV SÜD, que emitiu a declaração de estabilidade em setembro de 2018. “Oitiva dos representantes da referida empresa se torna indispensável para os trabalhos da presente Comissão de Inquérito”, disse a senadora.

Outros andamentos

A Comissão também aprovou o plano de trabalho do colegiado, convocações de dirigentes da Vale e visitas a outras estruturas em perigo de rompimento. Os parlamentares reagendaram para a semana que vem a vinda do ex-presidente da Vale Fabio Schvartsman, que chefiava a mineradora quando ocorreu o rompimento em Brumadinho, em 25 de janeiro deste ano.

Ele pediu que sua oitiva, inicialmente marcada para esta quinta-feira (21), fosse adiada por motivos de saúde, já que se submeteu a um procedimento oftalmológico que exige repouso. Os senadores marcaram seu depoimento para a próxima quinta-feira (28), a partir das 9h.

A duração da CPI foi reduzida para 120 dias, em vez dos 180 propostos originalmente. A ideia é acelerar os trabalhos, segundo a presidente da comissão, senadora Rose de Freitas (Pode-ES). Rose sugeriu que o nome do colegiado seja “CPI de Brumadinho e Barragens”, já que outras com risco de rompimento serão avaliadas pelo colegiado.

Convocados

Foram convocados pela senadora Juíza Selma para prestar depoimento as seguintes pessoas: Gueitiro Genso e Fernando Gomes, presidente e vice do Conselho de Administração da Vale, e os integrantes do conselho Dan Conrado, Eduardo Guardia, Ney Ottoni de Brito, Denise Pavarina, Isabela Saboya, Sandra Guerra, Oscar Camargo Filho, Lucio Azevedo, Toshiya Asahi e Marcel Barros.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here