Senadora Juíza Selma é contra deslocamento de competência da Operação Lava Jato para a Justiça Eleitoral

50

DECISÃO DO SUPREMO

KATIANA PEREIRA/DA ASSESSORIA

O Supremo Tribunal Federal (STF) decide nesta quarta-feira (13.03) se crimes de caixa dois e de corrupção relacionados ao processo eleitoral devem ser julgados pela Justiça Federal ou pela Justiça Eleitoral. O veredito deverá impactar diversas investigações no âmbito da Operação Lava-Jato, que se desenrola na Justiça Federal.

O tema foi abordado em Plenário nesta terça-feira (12.02).  A senadora Juíza Selma (PSL-MT), foi uma das congressistas que manifestou preocupação com a possibilidade de transferência de casos Lava-Jato para a Justiça Eleitoral.

A senadora Juíza Selma, que é juíza aposentada, disse que transferir as ações da Lava-Jato que têm a ver com eleições seria um “erro crasso”. Para ela, não existe nenhuma justificativa jurídica para que o STF tome uma decisão nesse sentido.

— A Justiça Eleitoral é feita para cuidar do processo eleitoral. Se determinado meliante recebeu propina e a utilizou em caixa dois, isso é outro problema. O núcleo do crime praticado é o recebimento da propina, e não o uso que ele deu a ela, correto?

Selma alertou também que essa eventual transferência traria consequências “extremamente danosas” para o país porque causaria frustração e decepção à opinião pública, que espera punições para os crimes desvendados pela Lava-Jato. Essa opinião foi compartilhada por outros senadores.

Com informações da Agência Senado. Leia mais aqui. https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2019/03/12/senadores-esperam-que-corrupcao-eleitoral-continue-na-justica-federal

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here